segunda-feira, fevereiro 28, 2005

Uma história...do ensino

"Para frequentar a escola, os estudantes tinham de pagar impostos, calculados segundo a sua bursa, uma unidade baseada no custo semanal do alojamento e da alimentação. Se não pudessem pagar, tinham de declarar sob juramento que não dispunham de «meios de subsitência», sendo-lhes por vezes concedidas bolsas de estudo."

Uma História da Leitura, Alfredo Manguel, pág. 81

Belos tempos, estes do século XV!

domingo, fevereiro 27, 2005

É cultura, caros amigos, é cultura!

O canal História é óptimo para se adquirir novos conhecimentos e para fazer companhia numa insónia. Especialmente quando é emitido um programa sobre a história do vibrador!

Fiquei a saber coisas muito úteis que contribuem para que me sinta um ser humano mais completo e um membro muito mais activo da sociedade.

Por exemplo, fiquei a saber que o vibrador servia, nos seus primórdios (o primeiro acho que data da Idade Média-tarados os gajos dessa altura tendo em conta a higiene pessoal de ambos os sexos!), como terapia para tentar curar a histeria, doença essencialmente feminina visto ter origem no útero, até que alguém o decidiu enfiar entre as pernas!

Depois disso, foi um pequeno passo até à mulher conseguir atingir, solitariamente, o paroxismo estético(!), ou seja, o vulgo orgasmo!

Sempre é uma forma mais delicada de abordar uma senhora: "Olhe, desculpe, importa-se de me provocar um paroxismo estético?". Sempre é mais delicado do que o normal "És boa como o milho!".

Começo a acreditar...

...que é possível passar a análise económica! É que 'aquilo' hoje até nem me correu mal (pelo menos o que consegui fazer)!

E a ti 'camarada' João, como é que correu?

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Lenta agonia

Tentei telefonar-lhe para pedir a benção para as frequências de amanhã e depois, mas o Joãozinho já tinha ido para o hospital.

Eu bem lhe disse para não molhar o corpo de Cristo no sangue do dito porque a mistura pode ser fatal, mas o rapaz nunca me dá ouvidos!

Que parvoíce! Acho que isto já é o pânico a falar, agora que faltam precisamente 16 horas, 50 minutos e alguns pózinhos para a de amanhã e...mais de 24 para a última (dá muito trabalho fazer a conta)!

É nestas alturas que gostava de acreditar em Deus!

quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Será medo?

Finalmente os hipermercados vão poder abrir bombas de abastecimento perto dos parque de estacionamento, querendo isto dizer que os condutores podem abastecer-se lá por menos 5 cêntimos (que hoje em dia faz muita diferença).

Veio logo o senhor da associação revendedores de combustível dizer que esta era uma medida que não fazia qualquer sentido, especialmente porque vai por em risco os utentes do hipermercado em caso de acidente, uma vez que a única entrada para o posto é a partir do estacionamento, podendo causar pânico (pois, eu também não percebi muito bem).

Ora, todos sabemos que o que há mais em parques de estacionamento são acidentes de grande gravidade, com muitos feridos e mortos. Aliás, em todos os telejornais vemos alguém a chorar a morte de mais uma vítima dos 'parques assassinos'!

Se olhassem para os acessos de algumas bombas faziam melhor figura, porque esses sim colocam em risco os automobilistas (acessos curtos que fazem com que os carros tenham que esperar no meio da estrada, por exemplo).

Mas são compreensíveis as reacções. Os senhores estão a ver a vida a andar para trás, perspectivando que os condutores vão deixar de lhes dar dinheiro e tudo por causa de 5 cêntimos! Se mexessem na margem de lucro (que mesmo assim continuaria a ser enorme) era possível que os hipermercados não lhes roubassem clientes! Assim, espero que daqui por uns tempos estejam todos a chuchar no dedo!

E o imposto automóvel foi aumentado 2%!!
CHULOS!!!

Suécia, né João?

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

Dedico esta música a Pedro Santana Lopes

Os demitidos
Estás demitido, obviamente demitido
tu nunca roubaste um beijo
e fazes pouco das emoções
és o espantalho dos amantes.
Estás demitido, obviamente demitido
evitas a competência
não reconheces o mérito
és um pilar da cepa torta
E assim vamos vivendo
na província dos obséquios
cedendo e pactuando enquanto der
filósofos sem arte, afugentamos o desejo
temos preguiça de viver (...)
Estás demitido, obviamente demitido
arrasas a obra alheia
às vezes usas pseudónimo
tu és um crítico de merda
E assim vamos vivendo...
Estás demitido, obviamente demitido
encostas-te às convergências
nunca investiste num ideal
tu sempre foste um demitido
tu foste sempre um demitido
já nasceste demitido!

Jorge Palma, Norte, música 4

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Tcharan!

E a Paulo Portas sucede o inigualável, o incrível, o inesquecível, o fantástico, o rei da eloquência...

Paulo Portas! (ou muito me engano ou vai ser mesmo assim; acho que não é preciso ser nenhum génio para o perceber)

segunda-feira, fevereiro 21, 2005

Retração

Disse que faltou o ingrediente no fim das eleições essencial a um país de terceiro mundo: as indignações dos dirigentes derrotados afirmando que os resultados estavam falseados.

Afinal enganei-me. Hoje, o guru dos Carnavais, Alberto João Jardim, veio a terreiro afirmar que os resultados das eleições eram falsos e tinham sido adulterados pelos de Lisboa.

Finalmente a prova final de que não vivemos num país assim tão evoluído.

Acabou

Tenho pena que tenha chegado ao fim todo este processo eleitoral. Não vou falar dos resultados, porque esses eram mais que esperados, mas sim das saudades que vou sentir de toda a campanha.

Vou sentir falta das indecisões de Sócrates, das incongruências no discurso, da falta de ideias.

Vou sentir falta do cego que não vê, de Santana Lopes que acrediava piamente que ia ganhar as eleições, ameaçando processar as empresas de sondagens que dissessem o contrário, enquanto mostrava um nível de auto-comiseração fora do normal.

Vou sentir falta do 'cassete' Jerónimo, das suas falhas na voz, provocadas com certeza pela emoção que lhe causa falar das causas dos portugueses. Vou sentir falta de ver amigos meus, lavados cerebralmente (à imagem de uma boa juventude partidária), a fazerem campanha nos direitos de antena.

Vou sentir falta dos constantes apelos à revolução de Francisco Louçã e do circo que acompanhava os circuitos do Bloco de Esquerda dentro das cidades.

Vou sentir falta de Paulo Portas (acabei de ouvir que se demitiu) e do seu desespero dos últimos dias a pedir, não, a rogar às pessoas que lhe dessem mais de 10% nas eleições que, com a ajuda de Deus Nosso Senhor Jesus Cristo, acabaria por alcançar (pensava ele).

Vou sentir falta, e isto sim vai ser o pior, da Dina a cantar a canção da Nova Democracia, dos vídeos amadores do Partido Humanista, do penteado novo de Garcia Pereira, dos esquecimentos do discurso nos direitos de antena e do recurso a um teleponto improvisado, ao lado da câmara, provocando um efeito visual muito engraçado; vou sentir falta da 'futebolização' da campanha, com cachecóis e cânticos plagiados das claques futebolísticas.

Só tenho pena que os portugueses sejam tão incongruentes. Um partido que se preze e que perca umas eleições num país de terceiro mundo tem que as contestar invariavelmente afirmando que são fraudulentas. Ora, até agora só ouvi congratulações. Os líderes portugueses desiludem-me cada vez mais.

O Carnaval acabou finalmente. Um Carnaval prolongado que muito animou os portugueses.

sábado, fevereiro 19, 2005

Justiça divina?

Debato-me, como muita gente, com o dilema da religião e da crença nalguma espécie de ser superior.

A cada dia que passo estou cada vez mais certo do meu ateísmo. Que tipo de justiça há num acidente que tira o braço a um jovem de 17 anos? E se disser que apanhou com um jipe, que se despistou involutariamente, enquanto passeava com a namorada de moto, torna a coisa mais compreensível?

Destino? Também não acredito.

Hoje nada mais faz sentido.

sexta-feira, fevereiro 18, 2005

Depois da fuga das galinhas...

...esse potencial êxito de bilheteiras: Fuga dos Galos.
Ouvi uma notícia no mínimo caricata num programa noticioso da RTP (Bom dia Portugal) que achei que devia ser reproduzida. Não é que Miami foi invadida por Galináceos! São os novos parasitas da sociedade do século XXI. Dos piores arruaceiros que já se viram. Não deixam dormir até tarde, incomodam o trânsito e, o mais bestial, não têm como ser apanhados! Pelo menos dizia um dos senhores que corria atrás de uma das pestes com uma rede e de um modo afrouxado.
Procurei na net por um maior desenvolvimento da declarada catástrofe mas não encontrei nada é que o problema tem uma dimensão tão grande que o FBI ou a CIA já devem estar por cima do assunto e a apagar todos os rastos para evitar o pânico.

Da nossa parte são feitas duas recomendações: esconda o milho das pipocas e tranque as portas.

No comments

ServiLusa
Agências Funerárias
Consigo nos momentos difíceis

Serviço Funerário permanente 24horas

Tem como objectivo primordial, bem servir as famílias que perderam os seus entes queridos, acompanhando-os e prestando serviços de qualidade. Todos os profissionais são de igual modo seleccionados segundo o padrão de qualidade definido pela Servilusa;

A Servilusa também se propõe prestar serviços de repatriamento de e para Portugal, através do seu Departamento Internacional, cujas condições e preços serão propostos caso a caso e previamente.

A Servilusa presta outros serviços sob as mesmas condições expressas neste Protocolo, nomeadamente Exumações, Serviço de Canteiro, Manutenção e Limpeza de Jazigos e Sepulturas, Crédito sem juros até 12 meses e outros.

A concessão de desconto será feita mediante comprovação por parte do cliente da sua qualidade de sócio do Grupo Desportivo pela exibição do cartão de Associado ou Requisição previamente solicitada.

A Servilusa tem um sistema de Concessão de Crédito Imediato, sem juros até 12 meses e também elabora planos de contratação de funeral em vida (pré-need).

Para mais informações consulte a nossa ficha de parceiros ou a Secretaria do Grupo Desportivo.


Parece que vou ganhar uma aposta!

«O PS vai conseguir a maioria absoluta nas eleições legislativas de domingo, de acordo com cinco das seis sondagens publicadas hoje na imprensa.

Apenas o semanário Expresso não dá como seguro a conquista da maioria absoluta pelo PS, ao contrário do que dizem as sondagens publicadas hoje pelo Jornal de Notícias, Diário de Notícias, Público, Correio da Manhã e O Independente.

O Expresso dá ao PS 45 por cento das intenções de voto, enquanto os restantes jornais apontam para um resultado que varia entre os 45,4 por cento e os 46 por cento.

A sondagem realizada pela Universidade Católica para o Público, RTP e Antena 1, dá ao PS 46 por cento dos votos, seguido do PSD com 31.

CDU e Bloco de Esquerda alcançam, neste estudo, sete por cento das intenções de voto e o PP seis por cento.

De acordo com este trabalho, 12 por cento dos portugueses não vão votar e 14 por cento ainda estão indecisos.

Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Sondagens e Estudos de Opinião da Universidade Católica nos dias 12 e 13 de Fevereiro e apresenta uma margem de erro máximo, para uma amostra aleatória com 5051 inquiridos, de 1,4 por cento com um nível de confiança de 95 por cento.

O Barómetro DN/TSF realizado pela Marktest sobre as eleições legislativas dá também ao PS 46 por cento dos votos, seguido do PSD com 26,8 por cento.

Nesta sondagem, a CDU aparece isolada na terceira posição com 8,9 por cento das intenções de voto, seguido do Bloco de Esquerda com 7,7 e do CDS/PP com 7,5, que surge em quinto lugar.

Segundo o estudo, 75,6 por cento dos portugueses dizem que vão de certeza votar.

O estudo da Marktest foi realizado entre os dias 14 e 15 de Fevereiro com base em 819 entrevistas e apresenta um erro de amostragem para um intervalo de confiança de 95 por cento, de mais ou menos 3,42 por cento.

Também a sondagem de O Independente atribui ao PS 46 por cento das intenções de voto, seguido do PSD com 30 por cento.

Neste estudo, o CDS/PP surge em terceiro lugar com 8 por cento, seguido do Bloco de Esquerda com 7 por cento e da CDU com 6 por cento.

Setenta e três por cento dos portugueses asseguram, segundo esta sondagem, que vão votar.

A sondagem publicada hoje pelo O Independente foi realizada pelo Instituto de Pesquisa de Opinião e Mercado (IPOM) entre os dias 14 e 16 de Fevereiro e apresenta um erro de amostragem, para um nível de confiança de 95,5 por cento, de mais ou menos 3,1 pontos percentuais.

O Jornal de Notícias publica uma pesquisa da Intercampus que dá ao PS 45,9 por cento dos votos, ao PSD 30,3 por cento e à CDU 7,6 por cento.

O CDS/PP aparece como quarta força política com 7,1 por cento seguido do Bloco de Esquerda com 5,2 por cento.

Esta sondagem refere que 13,1 por cento dos portugueses estão ainda indecisos.

A sondagem da Intercampus foi realizada entre os dias 9 e 14 de Fevereiro com base numa amostra de 1015 entrevistas, e apresenta um erro de amostragem, para um intervalo de confiança de 95 por cento, de mais ou menos 3,1 por cento.

O PS alcança os 45,4 por cento segundo a pesquisa de opinião do Correio da Manhã que atribui ao PSD 28 por cento e ao CDS/PP 6,7 por cento.

A CDU alcança, de acordo com este estudo, os 6,8 por cento e o Bloco de Esquerda surge em quinto lugar com 5,2 por cento das intenções de voto, enquanto a abstenção se ficará pelo 40 por cento.

A sondagem da Aximage foi realizada entre os dias 12 e 16 de Fevereiro através de 2028 entrevistas telefónicas e apresenta um desvio padrão máximo de 0,011 pontos.

O semanário Expresso publica a única das seis sondagens que não dá como segura a vitória do PS com maioria absoluta.

Neste estudo, o PS surge com 45 por cento dos votos seguido do PSD com 31 por cento.

CDS/PP e CDU aparecem empatados no terceiro lugar com 8 por cento das intenções de voto seguido do Bloco de Esquerda com 6 por cento.

De acordo com este trabalho, estima-se que a abstenção se situe nos 40 por cento.

A sondagem para o Expresso, SIC e Rádio Renascença foi efectuada entre 11 e 15 de Fevereiro com base em 2057 entrevistas validadas e apresenta um erro de amostra de 2,16 por cento para um grau de probabilidade de 95 por cento.

Agência LUSA
2005-02-18 08:24:59»


Pensava que era impossível...

mas afinal há um programa pior do que os Malucos do Riso!

Chama-se Zero em Comportamento e passa na SIC. A não perder!

Atenção também ao Maré Alta. Mais um programa a provar que ainda se faz (má) comédia em Portugal.

Mais uma prova...

de que os 'maus da fita' andam melhor armados do que a polícia.

Se fosse o polícia a dar-lhe um 'tabefe' era violência policial; como foi o contrário, o criminoso já é uma vítima da sociedade

Em saco roto

Há dias houve uma manifestação de motards a reclamarem o direito de se conduzir motos de baixa cilindrada (i.e. 125), que consigam passar na ponte, por condutores que tenham carta de ligeiros há mais de cinco anos e que não tenham registo de algum acidente. É pena que a revindicação caia em saco roto. Primeiro porque, em vésperas de eleições, os problemas dos motards não são, com certeza, os que afligem mais os candidatos. Depois porque o compradio existente entre as escolas de condução e o governo é tal que uma medida como esta iria arrasar muitos dos negócios das escolas que tanto dinheiro dão (é, possivelmente, um dos negócios mais lucrativos que existe actualmente).

Pessoalmente, penso que a medida devia ser implementada e com outras variações. Não vejo sentido em, por exemplo, pagar uma exorbitância por 30 aulas de condução (que muitas vezes não são dadas na totalidade) nas quais supostamente nos vão ensinar a conduzir. É certo que nos dão várias indicações úteis, mas parece que, quer nas aulas, quer nos exames, o mais importante é saber estacionar sem bater com a roda no passeio ou saber fazer uma inversão de marcha. Coisas úteis como como conduzir à chuva, como travar o carro numa emergência, como mudar um pneu ou uma lâmpada ficam para que aprendamos com a nossa experiência e, muitas vezes, da pior maneira.

Neste aspecto sou apologista do método americano (e isto é coisa rara!). Era melhor que aprendessemos a conduzir com familiares e depois fôssemos logo a exame. É claro que os exames tinham que ser muito mais exigentes, a fiscalização a essa exigência teria que existir, etc, etc, coisas que em Portugal não existem. Obviamente as cartas de pesados, pela importância que têm, deviam continuar como estão.

Por enquanto não era mal pensado dar a escolher às pessoas o número de aulas que querem dar. Eu, por exemplo, vou tirar carta de moto e mesmo já sabendo conduzir vou ter que gramar com as 30 aulas e desembolsar uma fortuna para encher os bolsos daqueles que já têm muito. Não é esta medida que faz maus condutores, mas sim o actual método em que mesmo que se entre em curvas fora-de-mão (e isto pode ser um pronúncio para algo ainda mais grave) consegue-se passar num exame de condução.

Algum desespero?! Nã...

Finalmente vieram as promessas... aiii! Como andava ansiosa por ouvir promessas. Promessas nãoGARANTIAS. Não é meu intuito difamar ninguém e esta palavra, num contexto político, tem um conotação essencialmente negativa.
Eis o que todos aguardavam: «Vou baixar o IRS e o IRC. Não vou aumentar os impostos, não vou aumentar o IVA, nem vou despedir funcionários públicos»PSL.

Se ainda houvesse crentes em Portugal tinhamos vencedor!

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

é óbvio que não sei o que faço!

Vem aí mais um aniversário TVI!

Será que nesta gala, como a TVI tão bem nos habituou, poderemos contar com a presença de Manuela Moura Guedes e do seu possante carisma revelado por uma daquelas interpretações musicais como só ela sabe fazer?

Mal podemos esperar para ver e, com uma grande (des)graça divina, ouvir as surpresas que o canal independente tem para nos dar.

Solução Acidental para Problema Prático:

Quantas e quantas vezes nos perguntamos: como podemos melhorar a nossa qualidade de vida? Não dê mais voltas à cabeça! Comece por resolver pequenos problemas como pagar dívidas, arranjar uma vida social e, porque não, melhorar o ambiente aromático do seu carro!
Imagino que à medida que foi lendo os problemas soube logo arranjar solução rápida e eficaz para os dois primeiros; imagino, ainda, que ao ler o terceiro terá ficado perplexo com tamanha dificuldade, mas não desespere! Temos uma sugestão ideal para lhe fazer: entorne amaciador de roupa (o «vulgo» usado em lãs) num dos tapetes do seu carro. Não se poupe! Um litro deste fantástico produto irá fazer as delicias dos seus amigos, alegrar os seus filhos e até apimentar a sua relação sexual.
Não hesite! ENTORNE JÁ!



adermarge.blogspot.com não se responsabiliza por quaisquer danos físicos, psicológicos ou materiais.

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Alguns pensamentos curtos sobre as legislativas:

  • 7.1: > taxa de desemprego de sempre(relativo ao último trimestre);
  • Criação imediata de 70.000 postos de trabalho, PSL; (Parece que tb aprendeu a usar antíteses...)
  • Estaria Jorge Sampaio interessado na «promoção» de uma maioria absoluta PSpiana ao insultar (indirecta mas não discretamente) a competência de Santana Lopes?
  • Jerónimo de Sousa esteve em grande: «falta-me a voz mas não me falta a esperança!»;
  • Não se pode dizer que Louçã estivesse mal; Mostrou que pode ter alguma presença política (tb o Portas não estava nos seus dias, o Sócrates pouco tem a dizer e Santana saiu completamente derrotado do debate à portuguesa);
  • Uma pergunta: pode constar na lei a possibilidade de não haver descontos no caso de uma fusão de grandes empresas mas até que ponto isso é justo e até que ponto é democrático?

(continua...)

Sabia que...

...nos debates políticos, assim como em concursos de televisão, é possível o auxílio de discurso conhecido por «ajuda do telefone»?

terça-feira, fevereiro 15, 2005

A morte filma-se tão bem

Após a morte da irmã Lúcia multiplicaram-se os directos, as intervenções especializadas, as opiniões do 'pobão', faltando só uma declaração de Mel Gibson.

No dia do funeral assiste-se a uma éspecie de Big Brother funerário. Todo o dia, de cinco em cinco minutos, há um directo, uma edição especial, um político a expressar o seu pesar pela morte da irmão Lúcia.

Enjoa. Enjoa ver o fascínio mórbido dos portugueses pela morbidez alheia. Os programas especiais já chateiam. São constantes e dizem o quê? Nada, rigorasamente nada. A irmã Lúcia, enquanto viva, nunca passou 17 horas a aparecer constantemente na televisão. E era capaz de ser mais interessante vê-la viva do que vê-la morta. As televisões correm depois o risco de captar opiniões estúpidas, da linha das da tragédia de Entre-os-Rios, como uma senhora que estava ali porque "nunca tinha visto a Irmã Lúcia ao vivo e que estava a gostar muito[sic]".

Assim se faz televisão.

domingo, fevereiro 13, 2005

Sou camionista, sou o maior!

Confesso que tenho um fascínio pela profissão de camionista. E não, não estou a ser irónico. Apesar do bronze característico que se ganha, não me importava de sê-lo. Talvez porque o meu tio o foi e conta-me histórias bastante engraçadas. A última que me contou foi a melhor. Reza assim...

Estando o meu tio no Sul de Espanha (perto de Sevilha) com um colega de trabalho e com um camião, lembrou-se, numa quita-feira, que tinha que estar na Suécia no Domingo. Assim, meteram-se à estrada e, quase sem paragens (ilegaledade?Qual ilegalidade?), e comendo o que tinham na cabine, conseguiram chegar à Dinamarca na madrugada de Sábado. Apanharam o ferry para a Suécia e, como só demorava quatro horas, decidiram não descansar e ir comer alguma coisa de jeito (não o faziam desde Portugal-quarta-feira). Chegados ao bar, viram que a única coisa de jeito era hambúrgueres. Lá vieram os hambúrgures. Só com um defeito: estavam congelados. Não reclamaram e passaram para as sobremesas.

Chegados à Suécia, descarregaram, raparam um frio do caraças e foram confundidos com espanhóis por um emigrante português!

No ferry de regresso à Dinamarca foram novamente comer e deram-lhes novamente hambúrgures congelados. Não protestaram, mas desta vez decidiram ir descansar. A meio da Dinamarca, quiseram comer qualquer coisa às cinco da tarde. Para quem não sabe, os dinamarqueses fecham tudo às quatro da tarde, logo a única hipótese era...Macdonald's.

Passados uns kilómetros, já na Alemanha, ambos sabiam que as únicas coisas de jeito que lá se conseguem comer são salsichas ou hambúrgueres. Como não são grandes apreciadores de salsicha, venham os hambúrgueres.

Em França decidiram que já chegava de hambúrgueres e foram os dois jantar a um bom restaurante (que também é a única maneira de se comer bem em França). Chegados lá, pediram uns bifes que, pelo preço, deviam ser bons. Passados dez minutos chega o empregado: (em francês) Peço desculpa, mas n'a pas de bife. Mas temos aqui uns óptimos...hambúrgueres.
Começaram a protestar, a praguejar e a rogar pragas em bom português. O meu tio ficou-se por uns camarões de origem duvidosa, enquanto que o seu colega dirigiu-se à mesa das sobremesas.

Em Espanha nem se atreveram a parar.

Chegado a casa, à hora do jantar, preparava-se o meu tio para se deliciar com um belo repasto quando a minha tia lhe disse que o jantar era...hambúrgueres. Foram parar aos cães que, misteriosamente, apareceram mortos no dia seguinte.

Um caso claro de perseguição bovina em forma de panqueca e a prova de que em Portugal come-se melhor do que em qualquer sítio da Europa (pelo menos na estrada).

Viciados

Descobri a verdadeira nova droga do século XXI.

A julgar pelos anúncios é o Actimel da Danone!

WATERBOY!! OPEN THE DOOR!!

No meu trabalho de contar a água deparo-me com situações caricatas. A de hoje provou-me, essencialmente, que os portugueses andam a ver demasiados filmes americanos.

Estava eu a trabalhar alegremente quando me deparo com uma casa aparentemente vazia (confesso que não toquei à campainha). Tentei abrir o portão e este abriu-se-me à minha frente; entrei, tirei a contagem e passei à casa seguinte.

Depois da casa seguinte, qual a minha surpresa quando vi uma senhora na casa aparentemente vazia. As palavras que me dirigiu foram mais ou menos estas:

Olhe!!!, volte a entrar aqui sem autorização e sem um MANDATO e depois não se queixe!!!

Não sabia que era preciso um MANDATO, não um mandado, para contar a água, mas já me estou a imaginar de pistola em punho a apresentar uma ordem do tribunal e a insultar e a ameaçar as pessoas para que me deixem contar a água!

sábado, fevereiro 12, 2005

Marteladas

Ao ler a notícia do Público sobre a tentativa da abolição do símbolo comunista pensei logo no que escrever, mas alguem se antecipou aqui.

Não faz mal, direi algumas coisinhas.
Alguém que proclame a destruição do símbolo comunista ou a própria alteração do nome do partido apenas promove uma falsa liberdade, não se tornando diferente daqueles que censuram.

É certo, mais uma vez, que os exemplos históricos da aplicação do comunismo não são os melhores. Mas é preciso reconhecer que, embora as suas principais figuras tenham sido homens sanguinários, sedentes de poder, para além de terem um claro desíquilibrio mental, as bases do comunismo não são exactamente idênticas às bases do nazismo. Vai uma grande diferença entre o marxismo-leninismo e entre uma doutrina que defende a superioridade de uma raça em detrimento de outra, proclamando uma 'solução final' para a pureza do ser humano. Acho que concordas com isto, não João?

sexta-feira, fevereiro 11, 2005

Estupidez britânica

Afinal das terras de Sua Majestade não vêm só bons exemplos.

Ao que parece, numa loja britânica do IKEA criou-se uma enorme confusão, com pancadaria para dar e vender, tudo por causa de uns móveis vendidos a tuta e meia na loja sueca!

E eu a pensar que era só em Portugal que existiam inergúmenos destes!

Que alívio!

Recentemente tive que trocar de pneus e, como graças a Deus, sou um rapaz muito abastado, tive que comprar uns pneus da marca Nokian. Nunca tal marca me tinha soado nos ouvidos, mas recentemente soube que são os mais ecologicamente bem preparados (ou coisa assim parecida).

É bom saber isto. Mesmo que os pneus não valham a ponta de um corno e um deles me possa rebentar a 150 KM/h e provocar-me uns arranhões, lembrar-me-ei, ao ser projectado pelo vidro da frente que, ao compra-los, contribui para um melhor ambiente nas estradas portuguesas.

Grande TVI

Que a TVI é uma estação que não inspira muita confiança é um dado partilhado por muitos. Porém, não havia necessidade de colocar uma senhora claramente anti-comunista a entrevistar o secretário geral do Partido Comunista!

A questão nem está nas perguntas que foram colocadas (porque foram correctas), mas sim na forma como falou com o senhor que até estava com melhor aspecto do que habitualmente (o que pó-de-arroz não faz a uma pessoa!) . A jornalista, cujo nome não me consigo lembrar, conseguiu sempre falar de forma altiva para o Jerónimo e estava sempre determinada a arruinar todas as ideias que lhe saiam da boca.

Compreendo a repulsa de muitos em relação ao comunismo. Os exemplos históricos não são os melhores. Mas neste aspecto partilho da ideia de Ricardo Araújo Pereira: se deixasse de ser marxista-leninista devido aos maus exemplos da aplicação deste sistema, deixaria também de ser crente em Deus devido às atrocidades cometidas durante séculos pela igreja Católica. E aqui as desculpas não servem de nada. Aliás, de desculpas está o Inferno cheio!

Assinado: um marxista-leninista ateu

quarta-feira, fevereiro 09, 2005

É parecido

Já descobri o que é que a PJ deu a Carlos Silvino para fazê-lo falar.

Ao que parece vão inseri-lo numa ala da prisão especial. Especial porque é frequentada apenas por anões, de forma a 'Bibi' matar saudades. Consta também que vão distribuir roupas escolares aos ditos anões para tornar a situação mais credível.
Assim ele não conseguia resistir!

terça-feira, fevereiro 08, 2005

BANZAI!!!

Mais ninguém acha que o último outdoor do PSD intitulado "Quer mesmo que eles voltem" tem umas cores a atirar um bocado para o psicadélico, com uns toques de banzai e manga à mistura?

segunda-feira, fevereiro 07, 2005

Isto vai mesmo mal!

Que a música portuguesa anda pelas ruas da amargura já não é novidade para ninguém. Hoje tive mais uma prova.

Estava o meu querido irmão a ouvir as suas belas melodias quando ouvi uma voz que não me era estranha numa música péssima de um grupo de hip hop aqui da minha zona. Depressa me acerquei do computador para me certificar que os meus ouvidos não estavam a falhar. E não estavam! Consegui distinguir a voz do grande Jorge Palma num solo de uma música que de música não tinha nada! Respeito todos os géneros de música e aceito que todos possam ter gostos diferentes dos meus. Mas aquela música era mesmo muito má!
Esta é mais uma prova de que o senhor Jorge Palma continua a beber!

Só mais uma coisa: a cantora Dina já era muito má, mas ouvi-la a cantar a música da Nova Democracia ainda a torna pior!

Oh Pedrito pensa bem no que dizes...

Hoje, no Público, vieram destacadas as palavras de ordem dos comícios daquele que seria o primeiro dia de campanha (6/2/5 -o oficial, diga-se). Sobre "lavagem" do PSD pode-se dizer que Pedro Santana Lopes esteve, como se costuma dizer, igual a si mesmo. Não é que o senhor (correndo muitos riscos como reconheceu a jornalista do artigo - não digam a ninguém mas acho que ela tem uma fezadinha laranja: foi compará-lo à passividade de Sócrates, na minha opinião são os dois disparatados! Mas que grande parêntesis :) )...recomeçando: Não é que o senhor apela, e passo a citar o cabeçalho:

«... a que não se abra a porta "aos que puseram a casa em desordem».

Será que ele não se sente nem um pouco culpado do caos em que estamos?
Será que ainda não se apercebeu que foi demitido por alguma razão?
Melhor ainda: Será que nunca irá encarar as sondagens como possível revelação da fúria (fúria pode não ser o adjectivo mais adequado) popular?

Mais uma vez a culpa morre solteira em Portugal.

NÃO PODE SER!

Ouvi dizer que a Lili Caneças é licenciada em linguística. Será verdade? Isso faz de mim o quê? Não, esperem... Para fazer linguística a dita senhora tem de fazer um cadeira de semiologia ou semiótica. Estaria ela à altura do desafio?
Não há nada que o dinheiro não pague??
Já ninguém sabe o que é ter mérito???

Desculpem mas não pode ser... É de tal maneira impossível que é absurdo.
Uma senhora que nem sabe o plural de «artesão»(tds temos direito às nossas dúvidas e, bem sei, o estudo da língua não implica saber de trás-p'a-frente todas as entradas do dicionário, mas esperasse, para concluir um curso superior, que se tenham requisitos básicos).

'Tá mesmo quase!!

Pois é, é já amanhã o grande dia!

Demasiado nervoso e triste (3-0) para escrever qualquer coisa com nexo, remeto-me para outro sítio e também para amanhã.

Boa sorte para mim e para todas as outras vítimas da Semiologia

domingo, fevereiro 06, 2005

Ready...FIGHT!

Já ando um bocado farto da campanha para as eleições. Especialmente porque começaram dois meses antes do período oficial!

Acho que neste momento a única forma que os candidatos tinham para convencer o público seria convocar uma espécie de 'celebrety deathmatch', ao estilo da MTV!

Sangue, dentes, perucas, boatos e provocações a voarem num ringue rodeado de eleitores sedentos de uma vitória do seu candiadato, enquanto que os indecisos escolhiam, no conforto do seu lar, o lutador em quem votariam. Muito mais interessante do que aquela coisa sensaborona que passa todos os dias na televisão.

'Tá quase!

Os nervos começam a apoderar-se de nós.
Acordamos a meio da noite a pensar nisso.
Pensamos que, de um momento para o outro, nos vamos esquecer de tudo aquilo que sabemos.
O pânico instala-se!

Amanhã já é véspera de frequência!!!AI, AI, AI!!!

Televisão privada, para quê te quero?

Abram alas para... ...a paciência!
Vêm aí os fantásticos, os magníficos, os absolutamente espectaculares programas que em breve consumirão o tempo e a inteligência dos portugueses. Falo, pois, daqueles que se repetem dia-após-dia e que são o martírio de quem não os vê porque têm de os gramar na mm, mais não seja em conversas de comboio.
As novas apostas da SIC e da TVI são, como já se deve adivinhar (há uns cinco anos para cá que não fazem doutra coisa), Reality Shows. O canal que mais é visto no momento irá continuar(é que não estavamos mm à espera!) a Quinta das Celebridades. O outro, querendo ganhar terreno, está a preparar uma novidade de tal maneira nova (passo o pleonasmo)que eu confesso desconhecer. A coisa tem o nome de Infidelidades e parece que consiste na transformação de um Macho Latino num Metrossexual, por três homossexuais.

O que é um Metrossexual? Não sei! Existem umas teorias (não da minha autoria: foram discutidas em grupo):
  • Alguém que não tem preferência sexual (fase entre o Bi. e o assexuado ou uma das duas; versão moderna/evoluída do Bi.);
  • Alguém do jetset que se veste e maquilha como uma menina (tipo Zé Castelo-Branco; um transsexual);
  • Alguém que faz sexo «encarrilhado» (implicando sérias orgias);
  • Alguém que faz sexo no Metro (no comments).

Elucidem-me por favor, não gosto de ficar na ignorância.

Na verdade a SIC que começava a ganhar algum juízo com o aparecimento dos canais temáticos, com uma melhor selecção qualitativa e um acréscimo de espectadores fixos vai se igualar à TVI. Resta-me dizer que, apesar de tudo, tenho a certeza que irá ser um sucesso.

sábado, fevereiro 05, 2005

Desiludido.

Ando cada vez mais desiludido com os jovens em Portugal.

Estava hoje a matar saudades do grande jogo que é o Championship Manager quando a minha televisão ficou parada na SIC Radical enquanto passava o Curto Circuito. Decidi ficar a ouvir...e arrependi-me logo de seguida. O tema de hoje era (como não podia deixar de ser) o debate de ontem entre José 'Mister Gay' Sócrates e Pedro 'Martin L. King' Santana Lopes.

O primeiro telespectador causou-me arrepios à medida que ele passeava toda a sua ignorância em directo. Logo para abrir tinha uma fronha que metia medo ao susto! Depois começou com grandes dissertações para justificar a ausência do seu voto (a pequena besta já contava com 18 Primaveras) no próximo dia 20, quando no fundo ele só não ia votar porque não ligava nenhuma a política. Começou então a dizer que só votaria se o Pinto da Costa fosse candidato. Como remate de conversa, revelou-se muito triste porque Portugal pode ter um primeiro-ministro 'gay', argumentando que a sua tristeza se prendia com o facto de ele não gostar de "paneleiros".

Isto perturba-me! Primeiro, porque são pessoas como estas que, passados alguns meses das eleições, estão nas manifestações a pedir a queda do Governo, quando, na altura em que podiam, nada fizeram para que eles não fossem para lá.

Segundo, porque se o Pinto da Costa fosse primeiro-ministro isto ainda ficava pior do que está. O senhor anda a ser investigado por alguma coisa é! Para além disso, acumularia, concerteza, as funções de presidente do FCP e de primeiro-ministro, o que causaria, certamente, conflitos de interesse. O futebol deve ter as suas politiquices, mas nunca deve ser político.

Por fim, entristece-me como é que uma pessoa pode avaliar as capacidades de outra através da sua orientação sexual. O facto de o Sócrates dormir com o Diogo Infante, ou seja com quem for, não implica que ele não vá ser um bom primeiro-ministro.

Enfim, espero que tenha sido uma momentânea falha de energia cerebral do rapazito.

sexta-feira, fevereiro 04, 2005

Onde é que isto vai parar!

Sabemos que a televisão pública anda mal quando a primeira coisa que ouvimos assim que ligamos o televisor é, "Para chupar e depois morder"!!!!

Grande Noite!

Já chegámos ao mês das grandes decisões!

É finalmente em Fevereiro que vamos conhecer os vencedores de uma corrida que se adivinha renhida. Todos sabemos que os candidatos mais mediáticos são os favoritos, mas há sempre surpresas.

Não confio nas sondagens e os especialistas não me inspiram muita confiança, normalmente porque tenho sempre uma ideia muito diferente da deles. Aliás, os candidatos ao lugar mais desejado que eu preferia acabaram, em edições anteriores, preteridos por outros que nunca me chamaram muita atenção e sempre me deixarem muito a desejar.

Estou mesmo ansioso que chegue o fatídico dia em que milhões de espectadores ficam colados ao televisor à espera que o nome do vencedor seja dito. A ânsia antes de começar todo aquele espéctaculo, o ficar acordado até tarde a ouvir reacções, a ver os vencedores a saborearem o doce sabor da vitória enquanto dão palmadinhas nas costas dos vencidos, "Fica prá próxima, pá!", "Não desanimes, a vida não acaba aqui!". Enfim, é um espéctaculo apenas para viciados neste tipo de eventos.

Até lá, espero e desespero pela Grande Noite dos...Óscares!

À laia do América Proibida

Ontem passou (a altas horas da noite) o grande filme América Proibida.
Hoje lembrei-me de ir procurar sites neo-nazis portugueses. Não encontrei grande coisa mas encontrei isto que é quase o mesmo.
Vale a pena visitar e rir (ou chorar) um bocadinho!

Hilariante!

Sempre que posso tento ver o Tonight Show with Jay Leno que passa agora na Sic comédia; Hoje na rubrica Headlines foi apresentado um artigo (daqueles que fazem parte dos classificados) que dizia qualquer coisa como isto:

«Procura novas experiências?
Quer conhecer mais pessoas?

Torne-se num Guarda Prisional.»

Só podiam estar a gozar quando escreveram isto!! Ai os americanos...

Fica uma sugestão: visitem www.nbc.com .

quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Eles andem aí!

É um pássaro!... É um avião!... NÃO! É um balão d'água! SPLASH!
Quem nunca experienciou isto? Se houver alguém dou-lhe, desde já, os meus parabéns, é, sem dúvida, um grande feito!
Pois eu, como muitas pessoas, já comi com alguns em cima; posso até afirmar que tenho um trauma crónico que é despertado por esta altura: dou comigo a olhar para todos os prédios, a evitar passar ao pé de escolas e a usar o carro para ir ao supermercado no fundo da rua (isto não é por preguiça como já alguém está a pensar).
Odeio o carnaval, quer dizer, odeio o carnaval português, não, ainda não é isto: ODEIO O CARNAVAL EM ALMADA!!! É estupidamente estúpido. Imagine-se que as escolas têm de combinar entre elas as férias de carnaval para que não haja um desafortunado estabelecimento bombardeado por meninos com a mania da rebeldia.
É óbvio que já estão em circulação, e o pânico é geral (se bem que este ano os habituais ataques foram tardios -para que se tenha uma ideia costumam ser um mês antes do mal-amado dia). Fazem-se rivalidades entre grupos organizados (quase terroristas) e mal daqueles que não ponta-de-lanças se lembrem de sair no dia 8, aliás, já se esperam as ruas desertas(a melhor imagem que posso dar disto é o dia de Natal).
Há uns 5 anos, ainda eu andava a pé, aventurei-me nestes campos de guerra, no fatídico dia; na minha ingenuidade pensei que pudesse chegar à casa da minha avó intacta. É, CLARO, que estava enganada: fui apanhada por um grupo de 10, entre semáforos. Um deles ia-me deixando surda porque lembrou-se de esborrachar um balão na minha orelha esquerda. Nunca mais ninguém me viu...
Que prazer primitivo têm estes gajos ao fazerem isto???
Ainda se estivesse calor, e as pessoas não tivessem onde ir depois de ficarem enxarcadas podia ser que fizesse algum sentido, mas PORRA, tá frio e a malta tem que ir p'a escola, trabalhar, às compras, enfim ter um encontro social qualquer que se torna humilhante numa condição menos apresentável e muito desconfortável como é a de se estar completamente molhado.
Não sei porque é que ainda se vendem balões; compreendo muito menos a razão da venda de bombinhas de mau-cheiro ou as simples. Por acaso trabalho numa loja que tem este tipo de artilharia mas o trauma está de tal maneira instalado que se depender de mim não sai de lá nada.
Estarei sempre contra este tipo de partidas abomináveis. Por outro lado, não deixa de ser curioso que, pelo menos num dia, os miúdos, através do pânico, detém o absoluto controlo sob tudo e todos.
Oops! Acho que estou a fomentar ideias tristes em cabecinhas pouco responsáveis.

Contraditório

Não é bem um contraditório, mas nunca exerci esse direito e agora estava a apetecer-me.

Caro amigo João,

Estive a ler o teu outro 'berlogue' e não concordo totalmente com o post 'Há algo que ainda não percebi lá muito bem...'. Apoio-te na ideia do estacionamento pago (acho que é mesmo chulice municipal, mas não digas a ninguém), mas no que diz respeito às portagens não concordo.

Sei que esta é uma bela maneira de entrar dinheiro para os cofres do Estado (e daí talvez não), porém muitas auto-estradas portuguesas não merecem nem que um burro passe lá, graças ao seu elevado estado de degradação. Temos uma sinistralidade rodoviária superior a muitos países europeus e não me venham com a treta da azelhice, porque azelhas há em todo o lado. Na Alemanha, por exemplo, as 'auto-bahns' não têm excesso de velocidade e as estatísticas de acidentes são muito inferiores às portuguesas.

Elas foram simplesmente mal construidas. Acredita em mim. Se querem continuar a cobrar portagens exurbitantes podiam pelo menos oferecer comida nas estações de serviço porque, como deves saber, paga-se bem para comer como deve ser numa auto-estrada.

No que respeita ao Algarve, acredito que a portagem na Via do Infante só ia causar mais acidentes. Por uma simples razão: os algarvios e os turistas passariam a utilizar a N-125 que, como todos sabemos, é uma bela merda, ainda pior que as auto-estradas. Simplesmente não é alternativa, como a maioria dos troços secundários portugueses.

No estrangeiro pagam-se portagens, é verdade. Mas és capaz de ter melhores condições a nível de asfalto, protecções laterais e centrais, etc, etc. Pegando no exemplo de 'nuestros hermanos', da fronteira portuguesa a Madrid não pagas um tusto e de Madrid a Barcelona pagas o mesmo que de Lisboa a Faro, mas andas o dobro da distância e com muito mais segurança. Se quiseres poupar uns euritos sempre podes ir pelas nacionais que lá são realmente boas (a diferença vê-se logo assim que passas a fronteira).

Só mais um exemplo, para sustentar a minha defesa! Na A-5 (Lisboa-Cascais ou vice-versa), decorrem obras há já não sei quanto tempo. Não se sabe quando é que vão acabar, mas acho que com quatro trabalhadores diariamente não é tão cedo. Mesmo assim, e mesmo estando a estrada transformanda numa armadilha mortal, as pessoas que lá passam todos os dias continuam a pagar a portagem. Num país civilizado a empresa que explorasse a estrada teria, pelo menos, reduzido o valor da portagem. Mas é verdade, estamos em Portugal!

Espero que não leves a mal. Um abraço.

É lógico!

Compreende-se a recusa de Paulo Portas de entrar por caminhos obscuros na campanha eleitoral, o que em linguagem simples significa: "Eu não vou andar para aí a dizer que o Socrates atraca de popa!"

É natural; eu também não gozo com os sportinguistas quando o Sporting perde um jogo!

quarta-feira, fevereiro 02, 2005

O drama dos professores II

O novo concurso para professores vai ser aberto no dia 14 de Fevereiro.
A data foi estrategicamente escolhida para que as centenas de candidatos não se enervem com as possíveis falhas do sistema informático, mas, ao invés, sejam invadidos por uma onda de amor que permita à Ministra ter tempo para arranjar outra solução.
O problema vai surgir quando a outra solução também falhar.
Tudo falha em Portugal. Minto, os senhores polícias conseguem ter um timing excelente e surgem nas alturas precisas em que estamos a cometer uma infracção de trânsito. No resto do tempo devem andar a coçar a micose ou coisa que os valha!

Passa o martelo, por favor!

Será impressão minha ou o nosso comum companheiro de algumas horas (felizmente), o despertador, ganha a cada minuto que passa um tom mais irritante?
Pode ser defeito deste mas acho que é geral; o próprio nome indica que sim: é inevitável que deixe de ser desprezível um objecto que nos arranca de um estado de grande satisfação e nos conduz para uma manhã fria.
Já para não falar na gama vasta de toques que a bestinha ínclui: qual deles o pior!
«DESPERTADOR» mas para quê? deixem-nos dormir até a vontade não querer! Devia se chamar antes «interruptor-de-necessidades-básicas» ou «Pesadelo à beira-da-cama» (último nome é coadunável com o mítico soundtrack na conhecida cena da banheira de Psycho, 1960, Hitchcock).
Serei a única a pensar assim? Lanço um desafio: qual é o objecto mais irritante até hoje inventado? Fico à espera de outros, se bem que este seja invencível nessa categoria.

terça-feira, fevereiro 01, 2005

O Maquinista


O Maquinista é um filme brilhante, como há muito não via, que estreou à relativamente pouco tempo nas salas de cinema.
O espectador regular de cinema que ainda não o viu já conhecerá, certamente, o trailler ou o making-of deste. Estará, pois, intrigado sobre a produção e o desenrolar da acção. Eu já vi o filme e aconselho-o piamente: se ainda tiver dúvidas só está a perder tempo!
Para quem não teve à disposição estas pequenas amostras mas que ainda assim se sente magnetizado na presenta de um bom filme, não perca esta oportunidade e vá ao cinema.
O argumento foi escrito por Scott Kosar e está repleto de simbolismos quase à maneira Queirosiana cheias de interpretações psicanalíticas, de certo complexas num pensamento freudiano não fosse este um filme de equívoco entre a perseguição real e a multiplicidades de personas surreais resultantes de um recalcamento de um crime.
O intérprete de destaque é, pois, o protagonista encarnado por Christian Bale; ele que perde metade do seu peso para que no screen seja a representação cadavérica de alguém que não dorme há um ano, suscitando a compaixão do espectador e revelando aquilo a que se puderiam chamar vulgarmente de pulsões de morte da personagem.
"Who are you?" é a pergunta colocada no início do filme, e é a questão central, como se deve adivinhar, mas é a revelação deste thriller psicológico que nos segura às imagens-movimento com as quais nos podemos relacionar, de certo modo.
O suspense oriundo dos jogos mentais e as conversas aparentemente lúcidas de "Reznik" envolvem-nos numa atmosfera global de justificações-encadeadas (porque não de um inconsciente obscuro, ou de actos falhados) para situações que nos estão distantes pela paranóia e ambientes degradantes provocados pelo comportamento humano.
É, sem dúvida, um filme a não perder!
Escrever isto fez-me lembrar o fotografa americana Cindy Sherman, e o grande Mário de Sá Carneiro em Dispersão e Confissão de Lúcio, associações que se fazem...

Olha a estreia!

Porque é a primeira vez, e como todas as primeiras vezes, há um sentimento mágico e uma profunda responsabilidade ao escrever este, bem como os próximos, posts. É pela importância da estreia que quero auto-congratular-me (Ui!) e dar-me as Boas-vindas: Bem-vinda!
Fazendo juz à temática do blog, eis que começam os comentários que não interessam nem ao menino jesus...


Daniela Fernandes

Que belos placards!

Há já uns dias tenho andado para escrever isto. Andam nas ruas (eles na verdade não andam, estão parados, mas pronto) uns placards muito interessantes. O primeiro é da autoria da JSD e tem o José Socrates em grande e depois várias perguntas: "Que obras lhe conhece?"(isto está mal escrito, não está? Mas não fui eu que escrevi no cartaz, podem comprovar, a letra não é minha!), "Que decisões tomou?", e mais umas duas ou três para tentar explicar que o senhor nunca governou nada. Pois bem, é verdade. Mas sempre me ensinaram que quem tem telhados de vidro não atira pedras, e os meninos da JSD deviam primeiro analisar o trabalho do seu cabeça de lista. É verdade que tomou decisões e deixa obra (se é por fazer não interessa), mas todas as decisões que tomou e todas as obras que decidiu levar a cabo contribuiram um bocadinho para que o Presidente da República tivesse dissolvido o Parlamento.

O outro está situado na Cova da Piedade, aqui bem perto de mim. É de uma sex shop da Cruz de Pau e tem uma senhora semi nua em grande no cartaz. Pensei logo para comigo: "Daqui por uns dias está cá a TVI, chamada pelos velhinhos da Cova da Piedade, a fazer uma bela peça sobre a vergonha que isto é". Fui, prontamente, chamado à realidade pela minha namorada que me lembrou que os velhos daquela zona são ainda mais tarados que os novos. Por isso acho que não vai haver reportagem e que o cartaz vai ficar ali por muito tempo. Ainda bem, sempre dá para ir lavando a vista.

Diga-se de passagem que o segundo placard é muito mais interessante que o primeiro.