segunda-feira, janeiro 31, 2005

Só para atrapalhar!

Sempre disse que matemática, geometria, enfim, todas essas 'ciências' que mexessem com números, só atrapalhavam a vida das pessoas.
Se assim não é, expliquem-me como é que é possível um triângulo abandonado na faixa da esquerda do IC-19, entupir durante horas essa bela estrada que, já de si, é suficientemente problemática!

domingo, janeiro 30, 2005

Mãos ao ar!

Alguém sabia que é permitido andar com 5 gramas de haxixe no bolso, mas se alguém for apanhado a rodar um charro pode ser acusado de tráfico?

sexta-feira, janeiro 28, 2005

Mas que bela análise

Fui visitar o site na net do SLB para aferir a objectividade dos jornalistas (será que são mesmo?) que para lá escrevem.
Num bonito texto, a senhora Marta David enaltece o grande jogo que a equipa encarnada fez, realçando a legitimidade da vitória benfiquista. Diz ela que:

Se no primeiro tempo o Sporting conseguiu (a espaços) controlar a partida, graças a uma melhor circulação de bola, já na etapa complementar foi o Benfica que esteve mais perto do golo

Pois é minha querida, não foi a espaços que o Sporting dominou, mas sim durante os 45 minutos todos. O SLB só chegou três vezes à baliza do Sporting e fez golos em duas delas por desantenção da defesa leonina.
A exaltação de uma pseudo grande equipa desenrola-se por este artigo e chega a ser triste.
Por último, a senhora faz a questão de lembrar que a decisão por 'penaltys' é sempre uma lotaria, mas contradiz-se logo de seguida ao dizer que,

Na hora da decisão o Benfica foi mais forte

Pois é meus caros amigos, se é certo que um orgão de um clube não tem que ser totalmente imparcial (o site do Sporting também não o é), há que ter um mínimo de decência e admitir certos factos que são claros para todos.
E já agora arranjem alguém que escreva um bocadinho melhor.

quinta-feira, janeiro 27, 2005

Lotaria

Foi pena o resultado, foi grande o jogo.
É dispensável o teatro de jogadores que fingem ser agredidos, tal como é dispensável árbitros que se deixam influenciar pelo público. É pena que o vencedor não seja o que melhor jogou mas o que teve mais sorte, mas ela também faz parte do jogo.
VIVA O SPORTING!

Grandes candidatos

  • Pedro Santana Lopes: acho que já nos chegou o tempo que passámos sob o jugo deste senhor. Sabemos que não tem ideias fixas (o que diz hoje, desmente amanhã), nunca gosta daquilo que faz, lembrando o saudoso António Variações ("Estou bem aonde não estou"), e, o cúmulo, parece que está sempre pronto a arrotar!Não queria ter nas suas mãos o meu futuro!
  • José Socrates: um vazio de ideias. Um pedante que adopta políticas contra as quais ele próprio votou. Ressaltam duas ideias da sua campanha política: a primeira, a pretensão de elaborar um cartão único que englobe B.I, nº de contribuinte, cartão de saúde, etc, etc. A não ser que se mude por completo a mentalidade portuguesa, se Socrates ganhar, os portugueses vão passar a andar com uma bíblia no bolso para se poderem identificar (três vivas para a burocracia); a segunda ideia é retirar 300 000 velhinhos da miséria. É louvável, mas a não ser que o PS tenha em mente exterminar os ditos velhinhos não estou a ver como é que isso é possível.
  • Paulo Portas: um ditador em potência. Adora fazer birrinhas quando os amigos não o deixam brincar com o país, e ameaça-os, sorrateiramente, que se vai embora (promessas!).
  • Jerónimo de Sousa: Mas o que é que eles tinham na cabeça!? Este é o típico comunista, aquele que tem cara de quem come criancinhas ao petit-dejeneur e que tem sempre uma reserva de dedinhos no bolso para quando fica com um 'ratito' no estomâgo.
  • Francisco Louçã: nada a dizer

quarta-feira, janeiro 26, 2005

Em louvor de uma Santa Televisão

Há três coisas que me irritam profundamente na televisão ao ponto de lhe querer atirar qualquer coisa (o cinzeiro, a cadeira, o meu irmão, bem, o que está à mão).
A primeira acho que é um ódio generalizado- a Manuela Moura Guedes e a sua boca de aligator-as restantes são mais do foro pessoal.
Não suporto as pessoas que batem palmas e que não conseguem manter o corpo imóvel (provavelmente não sabem que palmas são para bater com as mãos e não com todo corpo), e tenho um ódio cerrado a pessoas que, em programas com convidados musicais, não sabem as letras das músicas mas insistem em acompanhá-las com um movimento ridículo dos lábios-existe ainda o arrepiante cúmulo que são as pessoas que conseguem juntar estas duas qualidades intrínsecas a qualquer frequentador assíduo de programas televisivos.
De forma a tornar a televisão mais sã proponho duas coisas: a primeira, que enviem a 'Manela' cobrir as eleições no Iraque no próximo dia 30/01 (aquilo vai aquecer ainda mais), isolada dos outros jornalistas, que eles, coitados, não têm que aturar a senhora; a segunda, que enviem as pessoas que não sabem bater palmas e não sabem as letras das músicas como escudo humano para os restantes jornalistas.
Era a atitude acertada em prol, não só da sanidade televisiva, como também da minha.

Boa P.J.!

Como é que é possível um triplo homicida ser apanhado pela P.J. no dia 25 de Janeiro, mas ser apanhado duas semanas antes por jornais e televisões que publicaram entrevistas a esse mesmo homicida!?

Parabéns, Zé!

José Mourinho é o melhor treinador do mundo.
Mais uma distinção, mesmo que estas não sirvam para constatar o óbvio.
Parabéns!

terça-feira, janeiro 25, 2005

Como gastar dinheiro.

Têm 160 Euros? Não sabem o que lhes fazer?
Dêem-mos!!!
Se não vos der jeito fazer-me esse favorzinho, gastem-no no fantástico pack de 14 DVD da série Monty Python's Flying Circus. São os episódios todos da groundbreaking series e é mesmo dinheiro bem gasto.

Americanices

O filme francês Taxi foi readaptado em versão americana com o original título de...Taxi.
Mas porquê? Será que a ileteracia nos EUA é assim tão grande que eles não podem ler legendas? A história é a mesma, mas desta vez o fantástico taxista francês é substituido pela não menos exuberante Queen Latifah!
Espero ver o filme, mas não acredito que esteja melhor que o original.

Sai uma calinada em dose dupla!

Luis Filipe Vieira. Confesso que a personagem intriga-me. Por variadas razões, mas principalmente porque ele insiste em falar mal e em acrescentar um "Hã?" no fim de cada frase.
Há dias, numa conferência de imprensa o senhor deu mais uma prova da sua ignorância no que à língua portuguesa diz respeito. Aliás, duas.
Questionado sobre a possibilidade de chegarem mais reforços ao SLB ele afirmou que se "HADEM" falar de mais nomes e que os jornais "HADEM" colocar mais nomes nas suas páginas!
Ò meu amigo, vá aprender a falar.

Valha-nos a memória!!

Sobre o "Herlander" podia se escrever um livro!Pena que os capítulos mais sombrios sejam os actuais e aqueles em que vivemos.
Revivamos o grande Herman José, aquele que desbravou caminho no humor português nos anos 70 e 80 com grandes séries como O Tal Canal ou O Humor de Perdição que passam na...RTP Memória.
Têm alguns aninhos, são uma espécie de Copy+Paste de Monty Python's mas fazem-nos rir como...ele já não faz!

The Ather Marge presents...
A Carlos&Daniela production...

Benvidos à inaguração oficial!!!

Convidei muita gente conhecida mas ninguém decidiu aparecer!Nem o Lopes, nem o Portas, nem o Jerónimo, nem mesmo o meu querido Louçã!

Bem, mas isto não interessa a ninguém.Só mesmo a mim!
Pelo menos aumenta-me a nota de Informática(quando decidir finalmente fazer a disciplina).

segunda-feira, janeiro 24, 2005

Tenham paciência

Em conversa com o membro da minha nova família, o João, a caminho de mais um trabalho, chegámos a uma conclusão: os estudantes universitários deviam ter descontos especiais em vários medicamentos (Prozac, ...), em qualquer género de bebidas alcoólicas, em drogas, etc., de forma a ultrapassarem os terríveis meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro!
Sugiro também a colocação de um dístico nos automóveis de estudantes (assim do género do 'ovo estrelado' pós maçaricos), para que as pessoas sejam compreensivas quando estamos no trânsito e começamos a mandar tudo e todos pastar para um sítio pouco católico, depois de 10 horas, 10, passadas na escola!
Pensem sobre isto.

Ainda mais Herman José

A verdade é que o senhor não tem todas as culpas no cartório.
O humor que ele faz é aquele que vende em Portugal: o asneirento!
Basta uma figura pública dizer um palavrão na televisão para que as pessoas riam a bandeiras despregadas.
Meus caros inergúmenos,
toda a gente diz asneiras! Mesmo aquela avozinha beata que anda sempre com o nariz na conversa alheia.
Mesmo as figuras públicas!Sim, é verdade!Essa criaturas, cada vez mais raras, pois cada vez há mais proliferação da espécie, também dizem asneiras!
O que é engraçado é que se dizem um palavrão numa paragem de autocarro, num restaurante, numa casa-de-banho pública porque o gajo do lado está a olhar para sítios suspeitos, passam por mal-criados e antipáticos.
Se as dizem na televisão, são vedetas!
É triste o nosso cantinho à beira-mar plantado

Ò Zezinho, não havia nexexidade!

É triste ver como um grande ícone da comédia em Portugal tem-se comportado nos últimos tempos!
Herman José está completamente ultrapassado.Não porque agora está na moda gostar do Gato Fedorento, mas simplesmente porque é triste a forma como tenta ter graça.Desde o mítico Diácono Remédios a agarrar-se a senhoras semi-nuas, a senhoras semi-nuas a passarem cartazes enormes com letras de músicas que muito boa gente não consegue ler, quanto mais entender o que diz, a tentativas de "stand-up" género Jay Leno ou Conan O'Brien, a convidados que não têm o mínimo interesse e que até se oferecem para se despir.
Sô Zé,
faça como os jogadores de futebol:retire-se!Não se arraste pela televisão a tentar ser engraçado.